Mukesh Ambani, o homem mais rico da Índia e presidente de um dos maiores conglomerados industriais do país, pretende utilizar uma rede de satélites para levar o 4G a todo o território da nação. Isso será feito através da Jio, sua operadora de rede móvel, com tecnologia da Hughes Communications e da Organização Indiana de Pesquisa Espacial, uma agência do governo.

Dono de uma fortuna avaliada em cerca de US$ 50 bilhões, Ambani é o único indiano a aparecer na lista da Fortune de pessoas mais poderosas do mundo e disputa com Jack Ma, cofundador da Alibaba, o posto de homem mais rico da Ásia. Essa ideia do empresário de investir em levar o acesso à rede para mais localidades surgiu inclusive depois que ele construiu uma mansão de 27 andares e ouviu reclamações da filha sobre a conexão ruim por lá.

Mukesh Ambani, bilionário indiano e presidente da operadora Jio

No entanto, era inviável executar esse plano de conectar todo o país utilizando as tecnologias de cabos de fibra ótica ou redes por micro-ondas. A extensão da Índia, o tamanho da população (1,3 bilhão de pessoas) e a necessidade de atravessar florestas e desertos para chegar aos vilarejos mais remotos impossibilitavam a execução de uma abordagem tradicional. Foi quando os satélites se mostraram uma opção interessante.

Embora concorrentes como a Idea Cellular e a Barthi Airtel utilizem esses equipamentos para levar conexão 2G e 3G a mais lugares, a Jio será pioneira em fazer o mesmo com o 4G. Essa diferenciação é importante pois a velocidade mais alta do 4G costuma permitir o acesso da população a novos serviços na rede, como compras online ou filmes e séries via streaming.

A internet por satélite não alcança as mesmas velocidades da que é transmitida via cabos de fibra ótica, mas a expectativa é de que ela seja suficiente para esses locais mais difíceis de se alcançar, alguns onde até a energia elétrica pode ser uma raridade. Também sabendo que essas pessoas não têm condições financeiras de pagar por serviços caros, a Jio investe pesado em oferecer pacotes de dados quase ilimitados por preços que ficam em torno de 150 rupias (R$ 8,60) ao mês.



Source link